Misericórdia - Obra da Figueira :: Instituição Particular de Solidariedade Social Mapa do Site  |   Contactos
  Sexta, 13 de Dezembro de 2019
   
No Site No Google

Figueira da Foz... já tem luz verde para a construção de lar de apoio a deficientes

Destaques >>

om projecto de arquitectura aprovado, o lar residencial de longa duração para cidadãos com deficiência é um projecto que irá nascer no “chalé” do Pinhal das Águas (antigos serviços municipais de limpeza) e que tem seis anos, pois a candidatura havia sido chumbada por duas vezes. O anúncio da aprovação no âmbito da candidatura ao Programa Operacional Potencial Humano foi feito ontem pelo director do Centro Distrital de Segurança Social.

Mário Ruivo deslocou-se ao centro de formação da Misericórida - Obra da Figueira para a assinatura de acordos de comparticipação da Segurança Social a cinco instituições particulares de solidariedade social (IPSS) figueirenses, designadamente a Misericórdia - Obra da Figueira, Centro Social S. Salvador de Maiorca, Centro Paroquial de Lavos e Centro Spectrum de S. Pedro. A revisão dos acordos irá permitir elevar o número de utentes beneficiários nas diversas valências de apoio social (no caso da Misericórida subiu de 11 para 19), mas, segundo os responsáveis das instituições em causa, os valores ainda ficam aquém das necessidades. Mário Ruivo, apesar de ter consciência dessa realidade, sublinhou que o futuro terá de passar «por uma política de elegibilidade dos beneficiários desses apoios» e pela racionalização de equipamentos e serviços entre as diferentes IPSS.

Quanto à construção do lar residencial, cujo projecto está orçado em 500 mil euros e que será comparticipado pela tutela em 334 mil (além da garantia do Estado de contribuir nos custos dos 17 utentes que o novo equipamento irá acolher), segundo o provedor da Misericórida - Obra da Figueira Joaquim de Sousa, poderá arrancar ainda este ano, ou no início do próximo, uma vez que é necessária a abertura de concurso público.

Esta obra tem sido particularmente acarinhada pela vice-provedora da instituição e foi Virgínia Pinto que, aquando da visita da primeira- dama em Maio ao edifício António Biscaia (da Misericórdia), explicou a Maria Cavaco Silva que a construção deste lar havia sido chumbada duas vezes, entregando-lhe um CD com os dados do projecto. Na altura, a esposa do Presidente da República demonstrou sensibilidade para a questão, aludindo ao «desespero dos pais» por não saberem como ficariam os seus filhos (deficientes) depois de morrerem. «Temos que tomar conta dessas pessoas», disse Maria Cavaco Silva. E à terceira vez, não se sabe se com ou sem intervenção da primeira-dama, o projecto foi aprovado.

Última actualização: 28.10.2011

Voltar aos Destaques
 
 
Mapa do Site  |   Contactos

© 2010-2019 - Todos os direitos reservados. Concepção e Desenvolvimento: SEU-DOMINIO.com